Buscar
  • Matheus Mans

Os 7 melhores filmes de comédia em 2018


O ano de 2018, nos cinemas, foi dominado pelas boas comédias. Ainda que muita coisa ruim e mediana tenha sido produzida -- como Minha Vida em Marte e Correndo Atrás de um Pai --, a maioria dos filmes surpreendeu. E assim, de maneira surpreendente, pode-se dizer que 2018 foi o ano das comédias. O terror, afinal, ficou em baixa e só Hereditário apresentou bons resultados. A ficção científica também não se saiu bem.

Abaixo, o Esquina elenca as sete melhores comédias lançadas ao longo do ano. Confira:

7.

Título: Te Peguei!

Direção: Jeff Tomsic

Elenco: Jeremy Renner, Ed Helms, Jon Hamm

Nota do filme: 7,8

1. Originalidade: 9,0

2. Qualidade Técnica: 8,0

3. História: 7,5

4. Atuações: 7,5

5. Caráter Mobilizador: 7,0

Justificativa: Este filme tinha tudo pra dar errado. A trama, afinal, é absurda: um grupo de amigos decide continuar uma tradição, vinda da infância, de fazer uma grande brincadeira de pega-pega. O diferencial, aqui, é que a maioria das pessoas no grupo já passou da idade disso. Ao contrário do que parece, porém, o filme não cai no besteirol e nem vai para um caminho óbvio. Te Peguei!, assim, acaba trazendo uma trama leve, sensível e com uma mensagem natural, que surge em meio a algumas boas piadas. No elenco, destaque para Renner (Vingadores) e Helms (Se Beber, Não Case). Crítica AQUI.

6.

Título: O Retorno do Herói

Direção: Laurent Tirard

Elenco: Jean Dujardin, Mélanie Laurent, Noémie Merlant

Nota do filme: 8,1

1. Originalidade: 8,0

2. Qualidade Técnica: 8,0

3. História: 9,0

4. Atuações: 7,5

5. Caráter Mobilizador: 8,0

Justificativa: Longa-metragem que conta com o típico humor francês e que conta a história de um capitão do exército que deserta durante uma batalha, mas inventa uma história grandiosa e acaba saindo da situação como herói. Ainda que tenha exageros, O Retorno do Herói acerta ao trazer alguns assuntos atuais e interessantes -- como o machismo e a diferença salarial -- e atuações inspiradas de Jean Dujardin (O Artista) e Laurent (Bastardos Inglórios). Mas o melhor de tudo, mesmo, é o final: quando parece que Tirard vai perder a mão, acerta em cheio. Grande filme. Crítica completa AQUI.

5.

Título: A Noite do Jogo

Direção: John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein

Elenco: Rachel McAdams, Jason Bateman, Jesse Plemons

Nota do filme: 8,4

1. Originalidade: 9,5

2. Qualidade Técnica: 8,5

3. História: 8,5

4. Atuações: 9,0

5. Caráter Mobilizador: 6,5

Justificativa: Assim, como Te Peguei!, o longa A Noite do Jogo parte de uma premissa que parece não ter muito escopo para desenvolvimento: um grupo de amigos se reúne mensalmente para uma noite de jogos de tabuleiro. É a tradição. No entanto, quando o irmão de uma das pessoas do grupo reaparece, um outro tipo de jogo começa a acontecer entre os amigos. Assim como O Homem que Sabia de Menos, com Bill Murray, esta comédia acerta pela inocência dos personagens e pelo humor natural. E a direção de Daley e Goldstein tem uma qualidade atípica para o gênero, elevando a qualidade geral do longa-metragem -- e das boas atuações.

4.

Título: De Repente uma Família

Direção: Sean Anders

Elenco: Mark Wahlberg, Rose Byrne, Isabela Moner, Octavia Spencer

Nota do filme: 8,5

1. Originalidade: 8,5

2. Qualidade Técnica: 7,0

3. História: 8,5

4. Atuações: 8,5

5. Caráter Mobilizador: 10,0

Justificativa: Sean Anders não é um cineasta conhecido por ter grandes filmes no currículo. Seus maiores feitos, afinal, são os dois longas da franquia Pai em Dose Dupla. Mas aqui, ele deixa a sensibilidade transbordar ao contar a história de um casal que decide adotar três irmãos -- duas crianças e uma adolescente. O resultado é hilário e muito emocionante. Afinal, por mais que haja situações genuinamente cômicas, o drama das relações humanas também se deixa transparecer. O resultado é um filme que te deixa com um sorriso no rosto do começo ao fim. Crítica completa do filme AQUI.

3.

Título: Podres de Ricos

Direção: Jon M. Chu

Elenco: Henry Golding, Constance Wu, Awkwafina

Nota do filme: 8,5

1. Originalidade: 8,5

2. Qualidade Técnica: 7,5

3. História: 8,5

4. Atuações: 9,5

5. Caráter Mobilizador: 8,5

Justificativa: Surpresa do ano, Podres de Ricos é uma típica comédia romântica. Na trama, acompanhamos a história de Rachel Chu (Constance Wu), uma professora que acaba engatando um romance com um milionário chinês. O que parecia um conto de fadas, porém, acaba virando pesadelo quando ela conhece a tradicional e rigorosa família do rapaz. Ainda que a trama seja um pouco batida, a qualidade do filme salta aos olhos. O humor é bem feito, nada exagerado, e o elenco formado inteiramente por orientais se destaca. Vale pela boa história e pela boa produção geral. Crítica AQUI.

2.

Título: Jumanji: Bem-Vindo à Selva

Direção: Jake Kasdan

Elenco: Dwayne Johnson, Jack Black, Kevin Hart

Nota do filme: 8,5

1. Originalidade: 7,0

2. Qualidade Técnica: 9,0

3. História: 9,0

4. Atuações: 9,5

5. Caráter Mobilizador: 8,0

Justificativa: Havia muito receio ao redor da produção de um novo filme de Jumanji. Afinal, a produção original com Robin Williams é querida por grande parte do público e o medo de estragar a história era genuíno. No entanto, Jake Kasdan (Professora Sem Classe) conseguiu olhar para a produção com outros olhos e, de certa forma, criou um universo dentro de Jumanji. O resultado é um filme que homenageia o original, traz bons e novos elementos e, principalmente, faz gargalhar -- principalmente por conta de seu elenco, que possui uma química inacreditável. É muito bom.

1.

Título: A Morte de Stalin

Direção: Armando Iannucci

Elenco: Steve Buscemi, Jeffrey Tambor, Simon Russell Beale

Nota do filme: 9,1

1. Originalidade: 9,0

2. Qualidade Técnica: 8,5

3. História: 10,0

4. Atuações: 9,5

5. Caráter Mobilizador: 8,5

Justificativa: É um dos filmes do ano. A Morte de Stalin mostra os bastidores da morte de Stalin e a confusão dos políticos ao redor das decisões políticas que precisavam ser tomadas. É hilário e cheio de situações improváveis, mas muito divertidas. Iannucci é mestre em construir tais situações na tela e o elenco corresponde às exigências. Buscemi (O Grande Lebowski) está hilário, assim como Tambor (Transparent) e Jason Issacs (O Patriota). Beale, enquanto isso, encarna um antagonista real e que ajuda a equilibrar a trama. Filmaço. Crítica completa AQUI.

Menções honrosas

Acertando o Passo, Do Jeito que Elas Querem, Mulheres Alteradas, A Repartição do Tempo.

Observações

* Para desempate, seguiu-se a ordem de notas: originalidade, qualidade técnica, história, atuações e caráter mobilizador.

** Algumas notas mudaram entre diferentes rankings por conta de contexto.