• Matheus Mans

Relembre os filmes da franquia 'Missão: Impossível'


Uma franquia consolidada na memória cinematográfica das pessoas é uma franquia que resgata diversos aspectos emocionais e afetivos do público. Missão: Impossível, ainda que não seja a mais coesa e satisfatória trama de espionagem da história do cinema, agrada e causa esses sentimentos. Difícil não lembrar das desventuras de seu protagonista, Tom Cruise, ou da clássica cena do espião suspenso por fios ou, ainda, da trilha sonora.

Infelizmente, o primeiro filme da franquia não envelheceu bem. Dirigido por Brian de Palma (dos clássicos Os Intocáveis e Scarface) e lançado em 1996, o longa-metragem ainda tem um ritmo moderno e eufórico, mas perdeu muito valor na questão tecnológica da coisa: a grande missão por trás do filme é recuperar um disquete e algumas das barreiras entrepostas entre Ethan Hunt e seus objetivos são objetos futuristas que já viraram passado.

Ainda assim, o suspense impere e dá um bom sentido à narrativa, que também ganha pontos na trama de espionagem rocambolesca.

Já o segundo e terceiro filmes da franquia parecia que ia colocar a trama do espião Ethan Hunt no passado. Missão: Impossível 2, principalmente, foca muito mais em um romance sem sal e em efeitos visuais mirabolantes -- ao invés do acertados efeitos práticos adotados por De Palma, o novo diretor John Woo prefere os efeitos especiais. É o mais fraco da franquia e faz com que a história tome um rumo genérico e sem muita graça.

No Missão: Impossível 3, a coisa começa a voltar um pouco aos eixos. Com J. J. Abrams no comando, que começava a chamar a atenção do mundo cinematográfico, o longa ganha corpo na história -- que mostra um Ethan Hunt aposentado e bem mais realista -- e no elenco que, além de Tom Cruise, conta com Michelle Monaghan, Jonathan Rhys Meyers, Philip Seymour Hoffman,  Simon Pegg e Laurence Fishburne -- além do onipresente Ving Rhames.

No entanto, a grande virada da franquia -- e que a colocou, apesar da ainda presente desconfiança no mapa das grandes produções do cinema -- foi o quarto filme, Protocolo Fantasma. Abandonando de vez a contagem numeral, o longa-metragem ganhou o comando de Brad Bird (de Os Incríveis e O Gigante de Ferro) e o tom realista ficou ainda mais pesado. O grande acerto, porém, foi a troca do foco individual em Hunt para um trabalho mais em equipe.

É um trabalho diferenciado de roteiro que acabou se sobressaindo para o filme subsequente, Nação Secreta. Ainda que a história seja um pouco menos elaborada e o filme um pouco menos divertido, há cenas de ação de tirar o fôlego -- o que inclui, é claro, a clássica sequência de Tom Cruise pendurado na rabeira de um avião. Não é o melhor, mas mantém as principais qualidades de Protocolo Fantasma e cria a sensação de que essa nova fase de Missão: Impossível é quase como uma trilogia independente dos filmes originais.

E aí chegamos no mais recente filme, Efeito Fallout. Apesar de ainda contar com poucos detalhes da trama, o filme parece ser uma consolidação dessa narrativa mais real, ainda que ousada, que passou a ser adotada a partir de Protocolo Fantasma. E o elenco continua de ponta: Tom Cruise, Henry Cavill, Rebecca Ferguson, Simon Pegg, Alec Baldwin, Angela Bassett, Sean Harris, Vanessa Kirby, Michelle Monagham e, claro, Ving Rhames.