Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: 'As Bruxas da Noite' surpreende com trama da Segunda Guerra


Seja no cinema ou na literatura, a Segunda Guerra Mundial é uma tema quase esgotado. Afinal, são centenas de histórias que vão desde clássicos (O Diário de Anne Frank), passando por reinvenções criativas (Bastardos Inglórios, Jojo Rabbit) e até aquelas tramas banais e genéricas sobre o tema (como o recente Traído pela Guerra). Por isso é tão bom se surpreender.


E é justamente isso que causa a obra As Bruxas da Noite, escrito pela premiada jornalista italiana Ritanna Arneni. Apesar de falar sobre a Segunda Guerra Mundial, o livro mergulha em um tema pouquíssimo lembrado: as corajosas aviadoras do 588° Regimento de Bombardeiro Aéreo Noturno Soviético, conhecidas popularmente na época como "As Bruxas da Noite".


Em cerca de 250 páginas, Arneni explica e conta essa história, sem pompa e com muita simplicidade, a história intensa dessas mulheres nos céus. Afinal, é algo digno de filme: após uma vida modesta e simples na antiga União Soviética, elas, da noite para o dia, acabam entrando no conflito e bombardeando inimigos até se tornarem temidas pelos nazistas.

Arneni, assim, faz mais do que um livro sobre História. Ela, com cuidado e relatos emocionantes, vai mostrando os caminhos dessas mulheres. Faz um resgate histórico. É impactante, num primeiro momento, até mesmo saber sobre a existência dessas pessoas tão importantes na Segunda Guerra Mundial -- e o posterior esquecimento dessas figuras promovido pela URSS.


O depoimento de Irina Rakobolskaya, a última sobrevivente das "bruxas", com 96 anos na época da pesquisa da autora, vai entrando aos poucos na narrativa. É um livro delicado, cuidadoso.


O que falta apenas é uma pesquisa mais aprofundada. Esbarrando no próprio esquecimento do assunto, promovido pelo governo, Ritanna Arneni não consegue encontrar algumas respostas -- inclusive a partir de perguntas de Rakobolskaya. Faltam informações, deixando certos vazios na história que é contada. Dessa forma, fica uma sensação incompleta da história nas páginas.


No entanto, não dá para destacar a importância desse resgate em As Bruxas da Noite. É um livro necessário, de peso histórico. Tem suas falhas, principalmente por conta de algo que foge das mãos da autora. Mas não importa. A obra, publicada no Brasil pela Editora Seoman, mostra a história dessas mulheres para, assim, pensarmos sobre nosso passado, presente e futuro.

#Crítica #Resenha #Livro #História

0 comentário