Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Abaixo de Zero' é filme espanhol empolgante da Netflix


É incrível como o cinema espanhol de gênero está em alta. Há suspenses ótimos (O Poço, El Cuerpo, Um Contratempo), alguns bons dramas com pegada de thriller (A Casa, Quem Com Ferro Fere) e, agora, há um bom exemplar do cinema de ação. É Abaixo de Zero, longa-metragem original espanhol da Netflix que chegou ao catálogo brasileiro do serviço nesta sexta-feira, 29.


Dirigido por Lluís Quílez (do mediano Out of the Dark), o longa-metragem acompanha a história de um policial (Javier Gutiérrez, de A Casa) que é o responsável por transportar um grupo de prisioneiros entre uma prisão e outra durante um dia de frio intenso. No entanto, durante esse percurso, o caminhão de transporte acaba se tornando vítima de uma emboscada perigosa.


A partir daí, Quílez mistura elementos do filme de Carcereiros com Corações de Ferro. No entanto, ao invés de ser um ataque em uma cadeia, vemos um ataque ao caminhão de transporte. Ao invés de um cenário da Segunda Guerra Mundial, a Espanha contemporânea. E nada de nazistas do lado de fora. O que há aqui é um frio intenso e criminosos perigosos.

O grande problema de Abaixo de Zero, e que se revela logo nos primeiros trinta minutos, está em furos de roteiro e simplificações que demoram a fazer sentido. Oras, logo que o ataque acontece ao caminhão, o que faz com que o policial vivido por Javier Gutiérrez não chame os reforços? E como o presídio que espera receber os presos não faz contato após o sumiço?


São problemas narrativos que vão esgarçando um pouco a história e deixando tudo menos coeso. Além disso, Quílez tem alguns maneirismos bem óbvios na forma de filmar -- lembrando, e muito, produções americanas genéricas de ação. A fotografia também acaba derrapando a partir dos 40 minutos finais, quando começa a apostar em uma paleta de cores bastante óbvia.


Felizmente, porém, há duas coisas que levantam o filme e devem fazer com que o público esqueça quaisquer problemas no caminho: uma boa reviravolta final e o clima empolgante da história. A sensação de "gato e rato" e o ambiente limitado, mas hostil em que os personagens ficam elevam a qualidade da trama. Você quer acompanhar os desdobramentos, saber mais.


Além disso, felizmente, o final acaba cobrindo alguns defeitos do longa e respondendo algumas perguntas que, antes, indicavam uma trama sem sentido. Novamente, não é um filme perfeito: há facilitações narrativas, uma falta de personalidade e não é tão original assim. Mas isso não importa a partir do momento que embarcamos na ideia empolgante de escapismo da trama.

#Crítica #Netflix #Filme #Cinema #CinemaEspanhol #Ação

0 comentário