Buscar
  • Matheus Mans

Final explicado: qual o significado por trás de 'Tenet', novo filme de Christopher Nolan


Antes de começarmos esse texto em si, que é mais uma análise sobre a trama do que um final explicado ponto a ponto, devo dizer: muita coisa em Tenet não é clara e não tem respostas. Como disse na nossa crítica, o filme exagera na dose da confusão temporal e acaba não conseguindo dar todas as respostas necessárias em uma trama desse nível de complexidade.


Mas, tudo bem. Coloco aqui o que consegui abstrair do longa-metragem, que é um dos primeiros a chegar aos cinemas brasileiros após um vazio de sete meses causado pelo novo coronavírus.


Qual é a história de 'Tenet'?


Então vamos começar por partes. 'Tenet' acompanha a jornada do Protagonista (John David Washington), um aparente integrante de um esquadrão especial das forças armadas do Reino Unido. No entanto, logo na primeira cena, em que esse nosso protagonista enfrenta terroristas armados em uma ópera, vemos que algo não é normal, ou ao menos correto, nesse universo.


Afinal, em determinado momento o personagem de Washington (de Infiltrado na Klan) vê uma bala saindo da parede em direção à arma de um outro agente. É aí que o espectador é apresentado diagonalmente à história de Tenet: em algum lugar, alguém está conseguindo criar e produzir armas que desafiam espaço-tempo e fazem um percurso inverso do que é esperado.


Ao invés de sair da arma, atravessar algo e parar, esses produtos invertidos fazem o caminho inverso. As balas saem do lugar em que estão encravadas, atravessam algo e volta à arma.

Esta é a premissa geral de Tenet, que mostra que alguma coisa está desestabilizando o mundo e criando essa "volta no relógio". Mas aí eis que surge a primeira e grande questão: quem está fazendo isso? De onde vêm essas armas, essas balas e tudo mais, que causa essa perigosa e estranha inversão temporal? Como impedir? E se não impedirmos, o que pode acontecer aqui?


Quem é o vilão de 'Tenet'?


A partir daí, entramos na busca do Protagonista em compreender o que está acontecendo. E é aí que o filme começa a ficar mais emaranhado. Primeiramente, ele segue o rastro da bala invertida até uma traficante indiana (Dimple Kapadia). Surge também a figura de Robert Pattinson, sem muita explicação, que se propõe a ajudar o nosso protagonista em sua jornada.


Depois, descobrimos que as balas vêm de um mafioso do leste europeu (Kenneth Branagh). O meio que o Protagonista e seu parceiro encontram para alcançá-lo é por meio de sua esposa (Elizabeth Debicki), que armou um golpe para o próprio marido via uma obra de arte misteriosa. No entanto, rapidamente entendemos que não é ele, Branagh, que produz as armas invertidas.


Elas voltam no tempo. Soldados no futuro, desesperados por um planeta que faliu e morreu em termos sociais e ambientais, estão travando uma guerra de sobrevivência. A vida, no futuro, não é mais sustentável. A maneira que essas pessoas no futuro encontraram para sobreviver é, justamente, voltar ao passado. Enviam balas, armas, soldados e tudo mais pra guerra temporal.


Como funciona a inversão temporal?


Depois disso tudo, Nolan coloca o tradicional objetivo-artefato -- no caso, uma espécie de bomba de Branagh que é acionada se o coração dele para de bater. Dessa maneira, eles precisam fazer tudo de maneira coordenada: encontrar e destruir esse objeto, lidar com a guerra com esses soldados invertidos e matar o vilão no momento certo, parando essa bagunça temporal toda.

Protagonista e Neil (Pattinson) precisam destruir um objeto central, formado por vários outros objetos. Enquanto isso, a personagem de Elizabeth Debicki (As Viúvas) precisa dar um jeito em seu marido (Branagh) para completar o objetivo dos "soldados do presente" contra o futuro.


A inversão temporal nunca é realmente bem explicada por Nolan, que apenas atravessa pela explicação na narrativa. No entanto, em determinado momento, conhecemos um aparelho em que as pessoas entram por um lado, no tempo normal, e saem do outro "invertidos". O tempo corre ao contrário, indo pro passado, pessoas andam de costas, vento sopra ao contrário, etc.


A partir disso, está instaurada a guerra. Por meio de Branagh, soldados do futuro controlam essa guerra. Eles voltam no tempo e, assim, lutam contra o presente. Como explica o filme em determinado momento, essas pessoas no futuro estão apenas tentando sobreviver. É o problema de sua geração. E a forma que encontraram para isso é, enfim, voltar no tempo.


Não há algo muito mais complexo do que isso dentro da narrativa escrita pelo próprio Nolan, ainda que o filme parece mais difícil do que isso. É um ponto a ponto. Protagonista descobre esse mundo invertido. Descobre que tudo parte do personagem de Kenneth Branagh e que isso vem de soldados do futuro. Enfim, ele precisa matar Branagh para acabar com a tal guerra.

Há, também, uma inversão temporal envolvendo o Protagonista -- que acaba influenciando na trama anterior do filme. É ele que luta consigo próprio no banco-cofre, por exemplo. Tenet, em determinado momento, também entra em marcha ré. O filme começa a ir de trás para frente para que o Protagonista impeça algumas coisas de acontecerem e a influenciar fatos passados.


E aquele final do Robert Pattinson?


No final das contas, obviamente, Protagonista e Neil conseguem destruir o objeto-artefato a tempo, enquanto Debicki mata seu marido no barco -- uma cena citada anteriormente, em mais uma confusão temporal de Nolan desnecessária. Com isso, a guerra é evitada, os soldados nunca voltaram no tempo e não há mais como haver inversão temporal de futuro vs passado.


O mais importante, porém, é uma fala de Pattinson. Ele explica que, na verdade, Protagonista está no futuro orquestrando essa proteção do passado, totalmente consciente do que passou. É um paradoxo, em que o personagem vive o presente ordenado por ele próprio no futuro para, justamente, evitar esse passado. Uma enrolação tremenda que, também, não vai muito além.


Interessante, porém, que Pattinson morre. Se sacrifica para impedir que o objeto-artefato volte a possibilitar a volta de soldados do futuro. No entanto, ele revela enfim que ele e Protagonista são amigos no futuro e que foi enviado de lá pelo personagem de John David Washington. Era o ponto final de uma longa amizade, que chegava ao fim para Neil e começava para Protagonista.


Linha do tempo de 'Tenet'

#Cinema #Filme #Análise #FinalExplicado