• Matheus Mans

Os 5 melhores filmes de 2019 até o momento


2018 foi um ano um tanto quanto apático nos cinemas. Teve uma ou outra coisa original, mas já no meio do ano advertimos de que as coisas poderia ser bem mais decepcionantes do que parecia. Já agora, em 2019, as coisas estão andando de maneira bem mais feliz. Há projetos mais autorais e criativos tomando forma e fazendo com que as salas de cinema sejam contempladas de maneira mais completa. E, principalmente, há boas histórias vindas de todos os lados, gêneros, países, escolas de cinema e etc.

O Esquina, como já é tradição, fez sua preleção de cinco melhores filmes de 2019 até o momento. Assim, selecionamos considerando a data de lançamento no Brasil -- se o filme é de 2018, mas chegou ao Brasil só neste ano, ele entra na lista. Se você tiver alguma sugestão ou crítica sobre a lista, deixe nos comentários! O Esquina quer saber mais sobre a opinião das pessoas neste primeiro semestre de 2019 nos cinemas.

5.

Título: Vingadores: Ultimato

Direção: Anthony e Joe Russo

Elenco: Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson

Nota do filme: 9,0

1. Originalidade: 8,5

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 9,5

4. Atuações: 9,0

5. Caráter Mobilizador: 8,0

Justificativa: Tubarão foi o filme que definiu o que era um blockbuster. Arrisco dizer que Ultimato, em conjunto com Guerra Infinita, redefiniu o gênero. Afinal, este épico de super-heróis, de três horas de duração, arrastou milhões de pessoas para as salas de cinema e conseguiu causar uma conjunção de emoções fortíssimas. É um colosso que representa a força da Disney atualmente -- desproporcional e um tanto quanto preocupante, vale a pena frisar. Mas não dá para ignorá-lo no top 5 de 2019. Afinal, é o filme que movimentou multidões e que cristalizou sua imagem na memória de seus fãs.

4.

Título: Cafarnaum

Direção: Nadine Labaki

Elenco: Zain Al Rafeea, Boluwatife Treasure Bankole

Nota do filme: 9,3

1. Originalidade: 8,5

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 10,0

4. Atuações: 9,0

5. Caráter Mobilizador: 9,0

Justificativa: Este filme é um daqueles socos no estômago bem dados e que deixa o público desnorteado ao final da sessão. E são vários os fatores que contribuem: a direção quase documental de Labaki, a atuação visceral do menino Zain e ambientação arenosa, que quase deixa o público sem respirar de tanta sujeira, tristeza e degradação que emolduram a jornada do protagonista. Se não fosse o tom um pouco óbvio e uma mensagem controversa que surge ao final, seria o grande favorito ao primeiro lugar da lista. Mas Cafarnaum, que concorreu ao Oscar de Melhor Estrangeiro, merece o 4º lugar.

3.

Título: Border

Direção: Ali Abbasi

Elenco: Eva Melander, Eero Milonoff, Andreas Kundler

Nota do filme: 9,5

1. Originalidade: 10,0

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 9,0

4. Atuações: 9,5

5. Caráter Mobilizador: 9,0

Justificativa: Não é normal o que Ali Abbasi fez aqui neste filme. Extremamente competente, o cineasta iraniano-sueco pegou uma fábula e transformou nesse drama social que reflete histórias e características da vida de hoje em dia. E, para isso, o diretor não se furta de trazer momentos impactantes na tela, seja pela atuação primorosa de Eva Melander, carregadíssima de maquiagem, ou por cenas brilhantemente dirigidas. Concorreu na categoria de Melhor Cabelo e Maquiagem do Oscar, mas merecia mais. Melhor filme, Melhor Direção, Melhor Filme Estrangeiro e até Melhor Atriz, quem sabe. Filmes originais assim, e tão bem feitos, merecem máximo de reconhecimento possível.

2.

Título: O Silêncio dos Outros

Direção: Almudena Carracedo e Robert Bahar

Elenco: não tem.

Nota do filme: 9,8

1. Originalidade: 9,5

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 9,5

4. Entrevistas: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 10,0

Justificativa: Este documentário espanhol, produzido por Almodóvar, é quase tão forte quanto a ficção de Cafarnaum. Aqui, no entanto, a dupla de diretores documentaristas se debruça sobre as histórias obscuras da ditadura franquista na Espanha. Os depoimentos e a maneira que o filme se desenrola, ainda que com uma pequena barriga no meio, são desesperadoras. A vontade que dá é levantar da poltrona, atravessar a tela e dar um jeito de ajudar as pessoas que estão ali, sofrendo na frente da tela. E tudo fica ainda mais forte quando essa história contada em O Silêncio dos Outros dialoga com o passado e o presente do Brasil, que sempre flerta com diferentes tipos de autoritarismo.

1.

Título: Nós

Direção: Jordan Peele

Elenco: Lupita Nyong'o, Winston Duke, Elisabeth Moss

Nota do filme: 9,9

1. Originalidade: 9,5

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 10,0

4. Entrevistas: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 10,0

Justificativa: Jordan Peele chamou a atenção do mundo com o incrível Corra! -- que chegou a ganhar o Oscar de Melhor Roteiro Original. No entanto, a meu ver, sua grande façanha cinematográfica é Nós. Por mais que o filme lembre algumas outras produções já existentes, a força metafórica da história de Peele é emblemática. O roteiro do longa, junto com a direção precisa do americano, geram interpretações que transpassam o horror, a psicologia e até a metafísica. É um trabalho de construção preciso e que também dialoga com temas cotidianos e atuais -- inclusive no Brasil. Forte e necessário.

****

* Menções honrosas e suas respectivas notas: Dogman (9,0), Amanda (9,0), Ayka (8,8), Homem-Aranha no Aranhaverso (8,7), Clímax (8,6), Guerra Fria (8,6), A Favorita (8,5), Amazônia Groove (8,5), Assunto de Família (8,4) e Turma da Mônica: Laços (8,2).

** Em caso de empate, o Esquina compara as notas conforme ordenadas na lista acima, indo de originalidade para qualidade técnica, depois história, para atuações e, por fim, caráter mobilizador.

*** As notas diferem entre listas de rankings por conta da diferença dentro de seus universos. A nota de qualidade técnica pode fica maior na lista nacional por conta da comparação direta com outros concorrentes, enquanto diminui no ranking mundial.

#Ranking #Lista #Cinema #Filme #Filmes #MelhoresdoAno