Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: 'Encontro Você no Oitavo Round' traz literatura crua e naturalista


Com o selo de vencedor do prêmio SESC de literatura de 2020, na categoria romance, Encontro Você no Oitavo Round é uma obra inesperada. Inusitada, talvez. Afinal, o autor estreante Caê Guimarães se debruça sobre um tema pouquíssimo abordado sob a ótica brasileira, mas com a extensa e conhecida abordagem americana: a vida de um lutador de boxe, já na decadência.


Nos Estados Unidos, essa temática foi esgotada com a franquia Rocky e, posteriormente, com Creed. Além disso, há algumas abordagens mais originais como em Touro Indomável e Menina de Ouro. No Brasil, o que há nos cinemas sobre isso é o ótimo Mais Forte Que o Mundo, sobre um lutador de MMA, José Aldo. Caê, então, se encontra num ambiente quase inexplorado no Brasil.


Assim, em Encontro Você no Oitavo Round, conhecemos a vida de Cristiano Machado Amoroso, um lutador de boxe profissional -- e que também é escritor, acredite se quiser -- que está enfrentando a decadência da profissão. Começa a participar de lutas clandestinas quase sem regras, aceita dinheiro em troca de derrotas e coisas do tipo. É o fim da linha para Cristiano.

O que Cauê faz, então, é mergulhar na mente desse personagem tão real, tão cru. Ele se vale de uma estética suja na narrativa, quase que bruta demais, acompanhando um pouco do universo que esse personagem está inserido. Lembra um pouco o estilo do escritor e quadrinista Lourenço Mutarelli, sempre com personagens trafegando no underground e em um submundo.


Há, aqui, um excesso de chavões desse estilo que cansam um pouco -- o "estilo Bukowski" do personagem, cheio de pessimismo e de entrega ao fundo do poço; a relação com a jornalista já tão óbvia e batida; e algumas decisões criativas um pouco cansadas de tão usadas. Isso, de alguma forma, desperta um cansaço no espectador, que pode desistir no meio do caminho.


No entanto, apesar dos chavões, Cauê encontra no seu personagem uma maneira de ir além. É por meio da construção tão particular de Cristiano Machado Amoroso que o livro se diferencia. É real, cruel, brutal, natural. Difícil não mergulhar em seu submundo, nessa literatura tão "suja". Cauê, sem dúvidas, sabe criar o ambiente da leitura, mesmo que em um livro tão breve e veloz.


O melhor, porém, é a ponte metafórica entre a vida de boxeador e a vida de poeta. Ir além do que é contado é o segredo de Encontro Você no Oitavo Round, que se revela como um livro com densidade interessantíssima. A vida de escritor se confunde com a vida de boxeador. A luva se confunde com a caneta. É um livro-poesia. Forte, potente. Grande estreia de Cauê na literatura.

#Crítica #Resenha #Literatura #Livro #Livros