• Matheus Mans

Resenha: 'O Livro Maluco das Poções Mágicas' brinca com as palavras


Além do livro, recebemos um kit de pintura; o resultado comprova que não somos profissionais!

Que delícia é encontrar um livro infantil, bem feito e despretensioso como O Livro Maluco das Poções Mágicas. Escrito por Leo Cunha, ilustrado por Mariana Massarani e publicado pela Editora do Brasil, a obra tem uma história simples, não-linear, em formato de almanaque. E, ao contrário do que parece, acaba sendo desafiadora ao brincar com sentido e som das palavras.


Explico: o livro, ideal para um público mirim que já tem um pouco mais de noção das palavras, mostra a história de uma garotinha que descobre um livro de poções mágicas no sótão. A partir daí, o leitor é acompanhado a conhecer mais dessas poções. Enquanto isso, as deliciosa ilustrações de Mariana Massarani vão desenvolvendo a trama da menina e de sua família.

O mais interessante aqui é descobrir, se divertir e se encantar com os trocadilhos bem sacados do autor. Bebidas convencionais e outros líquidos, do dia a dia, ganham novos significados quando adicionadas palavras com sentimentos, ações, emoções. Milkshake vira Milk-shakespeare. Bálsamo, como mostrado na foto, vira BálsAmor. É divertido e é bonitinho.


Assim, é difícil não se encantar. Eu, particularmente, não tenho filhos. Mas esse é daqueles livros que sinto vontade de guardar bem e, no futuro, ser um livro para deixar na cabeceira da cama. Afinal, de uma maneira divertida, simpática e honesta, O Livro Maluco das Poções Mágicas brinca com as palavras, com trocadilhos e nos tira de uma zona de conforto óbvia.

#Resenha #Crítica #Livro #LivroInfantil #Literatura