• Matheus Mans

Resenha: 'O Navio e o Grande Segredo' é deliciosa viagem surrealista


Em uma primeira olhada, O Navio e o Grande Segredo é um livro pequeno. Ainda que tenha um formato diferenciado, daqueles típicos filmes de ilustração horizontais, a obra é fina. São apenas 30 e poucas páginas. Assim, um livro para se ler numa sentada. Num piscar de olhos. Mas O Navio e o Grande Segredo não poderia ser mais provocativo, poderoso e reflexivo. Grande livro.


Escrito por Paulo Venturelli, ilustrado por Carla Lado B e editado pela Editora InVerso, o livro é uma viagem. Um passeio. Um convite à criatividade e à imaginação. Afinal, desde o começo, o autor quebra com expectativas e rompe com a lógica natural e racional das coisas. Afinal, aposta no emocional para encantar e fazer com que o leitor embarque em uma jornada profunda.

É o navio que cruza o céu e depois é guardado no pulmão. São os sons de animais que saem de dentro de si. É aquela caravana de sons que espanta os vizinhos, assusta os desavisados.


Além disso, para aguçar ainda mais a criatividade e brincar ainda mais com as palavras, as ilustrações de Carla Lado B (e cujo nome real é Carla Linhares, artista contemporânea) é um espetáculo à parte. Coloridas e provocativas, elas complementam a experiência e ajudam a dar o tom daquela história. Difícil não mergulhar completamente com essa união imagem e texto.


No final das contas, essas 30 e poucas páginas acabam se transformando em algo muito mais poderoso, interessante e provocativo do que muitos livros com 300 páginas. A vontade que dá é de ficar mergulhado nessa história, embarcado no surrealismo emocional de Venturelli e nas imagens imersivas de Carla. É, enfim, um livro para embarcar na viagem e ir além na leitura.

#Resenha #Crítica #Livro #Literatura #Poesia #Poemas #LiteraturaBrasileira