Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: 'Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler' é livro criativo e emocional


Geralmente, quando falamos sobre Segunda Guerra Mundial, a narrativa é sempre a mesma: fatos históricos em cima de tramas lineares altamente emocionais, com momentos trágicos e contemplativos. Felizmente, o excelente Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler foge dessa fórmula. Afinal, o autor Philipp Hoose incrementa a narrativa com força e originalidade.


Na trama, acompanhamos a história real de um grupo de garotos dinamarqueses que, indignados com a passividade da Dinamarca durante a invasão alemã, decide iniciar uma série de atos de resistência e sabotagem para minar as forças nazistas. Dessa forma, eles criam o Clube Churchill, sendo responsáveis por roubar armas de soldados e explodir espaços aliados.


São jovens, ainda na escola, que decidem desafiar o todo poderoso exército alemão com o que têm em mãos. É uso de inteligência, sagacidade e bicicletas (ágeis!) para agir e sabotar.


Como ressaltado, Hoose não trata essa história de maneira habitual. Não é uma simples narrativa linear, cansativa, que vai contando detalhes sobre a vida desses meninos e do Clube Churchill. O que ele faz é costurar formatos e transformar Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler numa inteligente e poderosa colcha de retalhos com diversos estilos.

Em um único capítulo, o leitor encontra a narrativa tradicional da história, com voz ativa do autor; relatos pessoais do sobrevivente entrevistado por Hoose, Knud Pedersen; breves quadros informativos com fatos históricos e que complementam a narrativa sobre o Clube Churchill; imagens da época da invasão nazista na Dinamarca e do clube; por fim, mapas daquela região.


Dessa forma, o livro se torna uma mistura de sensações. Em uma primeira camada, é um registro empolgante sobre garotos nacionalistas que defendem seu país. É uma trama eletrizante e poderosa, pronta para virar um filme de potencial. Além disso, também traz dados e informações reais sobre o período, incrementando a experiência do leitor além do óbvio.


Indo além, percebe-se a sensibilidade daquela história. O Clube Churchill apresenta uma trama de resistência, amor ao próximo e controle sobre sua história fortíssima. Inspira e emociona. De alguma forma, trava diálogo com outros livros excepcionais sobre a Segunda Guerra Mundial, como As Últimas Testemunhas: Crianças na Segunda Guerra Mundial e A Lista de Schindler.


Em resumo: Os Garotos Dinamarqueses que Desafiaram Hitler é um livro que acerta em tudo. É criativo e traz um formato narrativo que sai do óbvio e desperta o interesse do leitor, sem ser pretensioso em seus objetivos. Em camadas mais profundas, por fim, encontramos uma trama delicada, com personagens cativantes, e que inspiram. Tudo que precisamos no mundo de hoje.

#Resenha #Crítica #Livro #Literatura