Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: Rápida e completa, biografia de Santo Antônio detalha vida do português


Quando era pequeno, lá pros meus 6 ou 7 anos, jurava de pés juntos que Santo Antônio era brasileiro. Não sei se pela influência das festas juninas, se pelas rezas da minha vó ao santo ou se pela presença frequente de sua imagem por aí. O fato é que, quase sem querer, Santo Antônio se tornou o santo que habitava minha imaginação (e minha fé) infantil. O santo pra todas horas.


Hoje, duas décadas depois disso, não tenho mais o mesmo apego. Minha avó se foi, acabaram-se as rezas. Me tornei agnóstico. No entanto, talvez pela nostalgia, ainda tenho um carinho imenso pela figura desse intelectual -- que é português, apesar de ser o santo mais brasileiro de todos os santos. Por isso, foi uma delícia viajar pela vida e história do franciscano em Santo Antônio.


Escrito pelo jornalista brasileiro Edison Veiga, a obra é um livro rápido. Leitura de dois dias, com pouquinho mais que 200 páginas. Contando as referências. O leitor viaja junto com a história, mergulha nas lutas de Antônio. O santo, o franciscano, o andarilho. É uma leitura rápida e fugaz, mas longe de ser simplória. Santo Antônio, mesmo pequeno, é daqueles livros recheados.

Afinal, Veiga deixa claro que fez um trabalho de pesquisa de primeira. Há muitas referências, uma tonelada de citações e muitas informações detalhadas -- do tamanho da basílica de Antônio aos milagres realizados pelo Santo. Não há detalhe, lenda ou história ao redor dessa figura tão popular no Brasil que não tenha pelo menos uma linha gravada nessas páginas.


Outro ponto positivo que contribui é a aparente paixão de Veiga pelo tema. Ele mergulha na história e fala sobre a vida de Antônio com paixão. A página 200, a última com texto do jornalista antes das referências, é de uma poesia refinada. Veiga não trata Santo Antônio como um objeto de sua análise e pesquisa, mas sim como parte de uma história interessante e apaixonada.


Há um momento ou outro que o ritmo cai levemente. A parte dos milagres é um pouco longa demais, se tornando repetitiva. E as histórias militares não caíram muito no meu gosto -- mas talvez por algum motivo que passe longe do interesse geral. Mas nada disso atrapalha. Santo Antônio é um livro saboroso, completo. Gostoso de ler. E indispensável para devotos do Santo.

#Resenha #Livro #Literatura #Religião #Crítica

0 comentário