Buscar
  • Matheus Mans

Os 8 melhores filmes de 2021 até agora


A primeira metade do ano se foi. E apesar do cinema ainda estar cambaleante em seu retorno no Brasil, podemos dizer que temos alguns bons exemplares de filmes à nossa disposição. Não é, nem de longe, uma das melhores listas do tipo que publicamos por aqui. Mas, ainda assim, há bons dramas, principalmente, e algumas boas ousadias narrativas que encantam e emocionam.


Assim, abaixo, fizemos a lista dos cinco melhores lançamentos de 2021, tenham eles sido lançados diretamente em digital ou na sala escura. Vale ressaltar que consideramos a data de lançamento no Brasil - se o filme é de 2019, mas chegou ao Brasil só neste ano, ele entra na lista. Se você tiver alguma sugestão ou crítica sobre a lista, deixe nos comentários!


A seguir, confira a seleção dos oito melhores filmes lançados no primeiro semestre de 2021:


8.



Título: Berlin Alexanderplatz Direção: Burhan Qurbani Elenco: Welket Bungué, Albrecht Schuch, Jella Haase Nota do filme: 8,6 1. Originalidade: 8,0

2. Qualidade Técnica: 9,5

3. História: 9,5

4. Atuações: 8,0

5. Caráter Mobilizador: 8,0


Justificativa: Filme inspirado em um clássico literário alemão e que já ganhou uma outra adaptação, considerada definitiva por muitos, pelas mãos de Rainer Werner Fassbinder. Aqui, porém, Burhan Qurbani inverte parte da lógica da narrativa tradicional e, com um formato potente de Odisseia do Homem Moderno, conta a história de um homem negro, imigrante na Alemanha, e que passa por uma série de provações. Forte, moderno, bem adaptado, é um filme inspirador e que quebra vários padrões do gêneros, justificando a existência. Crítica AQUI.


7.


Título: Nem um Passo em Falso Direção: Steven Soderbergh Elenco: Don Cheadle, Brendan Fraser, Benicio Del Toro Nota do filme: 8,9 1. Originalidade: 8,5

2. Qualidade Técnica: 8,5

3. História: 9,5

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 8,0


Justificativa: Depois de alguns anos apostando em mesmices, Steven Soderbergh surpreende com uma trama vigorosa sobre dois ladrões que decidem embarcar numa jornada de chantagens e roubos para se dar bem -- só que, por trás disso, há uma máfia da indústria dos automóveis. É um filme vigoroso e que, mesmo com algumas quebras de ritmo e uma falta de originalidade aqui e acolá, sabe como conduzir seus personagens em histórias profundas e divertidas, com destaque para Brendan Fraser, Del Toro e Don Cheadle. Crítica completa AQUI.


6.



Título: Deixe-o Partir Direção: Thomas Bezucha Elenco: Diane Lane, Kevin Costner, Lesley Manville Nota do filme: 8,9 1. Originalidade: 8,5

2. Qualidade Técnica: 8,0

3. História: 10,0

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 8,0


Justificativa: Infelizmente, nos últimos anos, o cinema de faroeste perdeu seu espaço ao redor de todo o mundo. Caiu em desuso, assim como os musicais. No entanto, podemos celebrar algumas pérolas que surgem aqui e ali, revitalizando o gênero. Ainda que não tenha a originalidade de um Rastro de Maldade, o longa-metragem Deixe-o Partir mostra como esses filmes de bang-bang ainda podem resistir nos cinemas. Aqui, a história de uma avó atrás do neto rende cenas memoráveis com algumas das atuações do ano. Filmaço. Crítica AQUI.


5.



Título: The Assistant Direção: Kitty Green Elenco: Julia Garner Nota do filme: 9,0 1. Originalidade: 10,0

2. Qualidade Técnica: 8,0

3. História: 8,0

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 9,0


Justificativa: Poucos filmes acertam tanto em seus propósitos como The Assistant. Com uma direção firme e inesperada de Kitty Green, o longa-metragem acerta em cheio quando se propõe a falar sobre abuso moral no ambiente de trabalho. Julia Garner, que encaixa como uma luva no papel dessa assistente de um poderoso executivo, saber como modular as emoções em um papel deveras complexo. No final, Kitty Green acerta em cheio ao trazer fortes emoções com essa personagem completamente perdida nesse ambiente machista e tóxico. Crítica AQUI.


4.


Título: Druk: Mais uma Rodada Direção: Thomas Vinterberg Elenco: Mads Mikkelsen, Thomas Bo Larsen, Magnus Millang Nota do filme: 9,1 1. Originalidade: 10,0

2. Qualidade Técnica: 9,0

3. História: 9,0

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 7,5


Justificativa: Vencedor do Oscar de Melhor Filme Internacional em 2021, este filme é uma verdadeira pérola do cinema neste ano. Afinal, depois do potente A Caça, Thomas Vinterberg e Mads Mikkelsen voltam a repetir a parceria num longa-metragem provocativo e que, muitas vezes, não faz tanto sentido para o público brasileiro, com professores bebendo álcool antes de cada aula para potencializar suas habilidades. É um filme ousado e criativo, com atuações de gala -- destaque absoluto para Mikkelsen numa cena final maravilhosa. Crítica completa AQUI.


3.


Título: Quo Vadis, Aida? Direção: Jasmila Zbanic

Elenco: Jasna Djuricic, Izudin Bajrovic, Boris Ler Nota do filme: 9,4 1. Originalidade: 10,0

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 8,0

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 9,0


Justificativa: Que pancada! Só assim para começar um texto sobre Quo Vadis, Aida?, filme que fica com a medalha de bronze do primeiro semestre de 2021. Com uma direção vigorosa de Jasmila Zbanic, o longa-metragem acompanha a saga de uma mulher, que trabalha como tradutora na ONU, tentando salvar seu marido e filhos de um genocídio. É um filme desesperador e que conta com a melhor atuação do ano: Jasna Djuricic, no papel dessa forte mãe e esposa que tenta manter sua família viva. Forte, impactante, emocionante. Crítica AQUI.


2.


Título: Justiça Brutal Direção: S. Craig Zahler

Elenco: Mel Gibson, Vince Vaughn, Tory Kittles Nota do filme: 9,4 1. Originalidade: 10,0

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 8,0

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 9,0


Justificativa: Filmaço de 2018 e que, infelizmente, chegou ao Brasil apenas em 2021 -- via Amazon Prime Vídeo e alguns serviços de video on demand. Justiça Brutal, conhecido também pelo nome original de Dragged Across Concrete, mostra Zahler novamente brincando com a noção que temos de um gênero já cristalizado em nosso imaginário. Depois do faroeste (Rastro de Maldade) e dos filmes de prisão (Confronto no Pavilhão 99), chega a vez de brincar com o cinema policial. É um filme inventivo, forte e criativo, destaque absoluto do ano. Análise AQUI.


1.



Título: Pieces of a Woman Direção: Kornél Mundruczó

Elenco: Vanessa Kirby, Shia LaBeouf, Ellen Burstyn Nota do filme: 9,6 1. Originalidade: 10,0

2. Qualidade Técnica: 10,0

3. História: 9,0

4. Atuações: 10,0

5. Caráter Mobilizador: 9,0


Justificativa: E o filme que leva a medalha de ouro é, também, o filme mais polêmico da lista -- alguns amam, outros odeiam. O fato é que, apesar de alguns exageros, Kornél Mundruczó acertou em cheio ao falar sobre essa mulher que perde o filho logo no parto, em uma das cenas mais tristes e dolorosas de 2021. Mas Pieces of a Woman seria bem menos do que realmente é se não fosse o elenco certeiro, com Vanessa Kirby potente em cena. Crítica completa AQUI.


0 comentário